FRASE:

FRASE:

"Se quiser evitar decepções, diminua suas expectativas."

(Anônimo)

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

FILME: REPO MEN - O RESGATE DE ÓRGÃOS

Atualmente, algumas situações me tem feito assistir à TV mais do que eu acharia razoável... Minhas alternativas na TV a cabo são os canais de cinema e os documentários sobre história ou sobre os animais.
Mas, no que se refere à filmes ditos de “ação”, acho que talvez seja necessária a criação de uma nova categoria: filmes de “dissecação”!
Eu me refiro à filmes onde haja a exposição excessiva de cenas de sangue, sem que isso seja de forma alguma relevante para a compreensão da trama, usando até "closes" para mostrar cortes e mutilações, com sangue espirrando em profusão.
Cenas que se prolongam bem além do que seria necessário, me fazendo supor que o diretor deve sofrer de alguma doença mental, ou então que sua obra é dirigida a pessoas com alguma perturbação psíquica! 

 Capa do DVD americano

REPO MEN – O RESGATE DE ÓRGÃOS (Repo Men – EUA/CAN, 2010, 111 min.) é um destes filmes onde a obsessão do diretor Miguel Sapochnik por cenas sanguinolentas, principalmente na sequência final, me fez esquecer a linha principal da trama, aliás cheia de falhas lógicas, com tentativas de fazer algo que não tem a menor possibilidade de dar certo!
Também me fez perder o interesse em olhar a tela, e acompanhar aquela série de coisas sem consistência, mesmo para um filme de ficção-científica!
Baseado num conto de 2009, Repossession Mambo, de Eric Garcia, a proposta até é interessante: Em uma época futura, sem que se saiba como isto pode ter sido legalizado, a empresa Union fabrica e comercializa órgãos artificiais para transplantes em seres humanos. Os órgãos são de alta qualidade e geralmente substituem com vantagem os naturais. São fornecidos numa espécie de sistema leasing, onde o usuário deve pagar mensalmente pela permanência e manutenção do componente implantado. Se porém, por algum motivo, não puder faze-lo, e as prestações atrasarem além de determinado prazo, o contrato determina que o órgão seja tomado de volta pela empresa (como se fosse um carro ou uma TV!), embora isso geralmente possa significar a morte do paciente!

 Jake (Forest Whitaker) e Remy (Jude Law): parceiros colocados em posições antagônicas.

E a retomada é feita de forma compulsória, por elementos chamados agentes resgatadores (repo men), que agem motivados por premiação de acordo com a sua produção, ou seja, quanto mais órgãos resgatados de maus pagadores, mais eles recebem!
As personagens centrais são dois parceiros resgatadores, que são amigos e fazem seu trabalho com muita eficiência, e um deles parece até adorar suas funções!
Remy (Jude Law) e Jake (Forest Whitaker) trabalham para o frio Frank (Liev Schreiber), diretor da empresa Union. Eles são os mais eficientes resgatadores de órgãos em atividade, para desespero de suas vítimas, que fazem tudo para escapar de suas pistolas de choques atordoantes e de seus bisturis, usados sem anestesia para abrir os corpos em busca de seus componentes!
Jake parece adorar sadicamente o que faz, mas Remy, cheio de problemas com sua esposa e filho, se vê pressionado a mudar de função, e pensa tornar-se vendedor de órgãos, ao invés de resgatador.
Porém, um estranho acidente acaba por coloca-lo em uma situação dfícil, e ele tem que retomar suas funções para manter sua própria vida! E acaba tendo que se confrontar com seu amigo e parceiro!
Minha recomendação é: não assista!
Apesar do excelente trio de atores, acompanhados ainda por Alice Braga, no papel de Beth, uma mulher viciada e cheia de transplantes, tem que ter muito estômago para suportar as cenas sangrentas, e o final pode não compensar!
Mas, se a curiosidade o fizer superar o nojo e as náuseas, depois me diga o que achou!
Eu acho que com o mesmo tema, e com os mesmos atores, poderia ter sido rodado um filme bem melhor.

11 comentários:

  1. Leonel,
    Por coincidência, um mês atrás eu acho, este filme estava passando num desses canais de filmes quando eu estava "ciscando" em busca algo assistível e me deparei com ele. Estava no início e resolvi assisti-lo, acho que não passei de vinte minutos, execrável. Não sei como Forest Whitaker e Jude law se prestam para aparecer numa droga dessa. Acho que eles estavam precisando de grana. Abraços e parabéns pela lúcida crítica, JAIR.

    ResponderExcluir
  2. Seguirei seu conselho Se pintar na minha tela, mudo para a Xuxa...
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Já sei que além de não aguentaria assistir o filme. Não aguentaria olhar tanto violência e sangue.
    Não recordo de nomes agora mas deixo de ver alguns exatamente por isso. Semana passada foi um que comecei e não aguentei ver nem 5 minutos. Sai correndo e falando (Não aguento ver isso não. Isso faz é mal). Não tenho certeza se era "Pânico na Floresta"....ou outra coisa na floresta...começava no hospício, mas era tanta violência e sangue.... e tenho mesmo Leonel percebido que a violência vem aumentando nas cenas de filmes sim. Acho que o ser humano perde aos poucos os parâmetros da normalidade...nesses dias de hj....amar o feio é comum....e nós não podemos NUNCA PERDER A IMAGEM E O DISCERNIMENTO DA IMAGEM DO HOMEM SÃO AMIGO. Difícil viu....vc sabe que nesses tempos a abertura dos mistérios do mal....vem crescendo....e é necessário o posicionamento humano.

    Boa noite!

    ResponderExcluir
  4. Hahaha... Mudo pra Xuxa foi ótimo!

    Poxa, gosto dos caras, e estão desperdiçando talento num filme assim? Não curto esse derramamento de sangue sem fundamento também não. Na verdade até com algum fundamento eu não curto muito.

    Seguirei seu conselho.

    Beijo, senhor cinéfilo.

    ResponderExcluir
  5. Oi, amigo , confesso que não gosto nadinha desse tipo de filme, já assisti um que me fez mal, "Tropa de Elite", nada a ver, né?
    Mas o excesso de violência, a apelação", não sei te explicar, até cena de parto muito "real,daquelas que a mulher quase 'agoniza me toca e viro o rosto: então, imagina só isso que você conta...!
    Beijos da amiga Mery*

    ResponderExcluir
  6. Gosto de filme assim nauuummm...de violência e sangue espirrando pra tudo que é lado já basta a ignorância diária...Essa semana mesmo aconteceu com um amigo (assalto a mão armada)que só não acabou em tragédia maior pq sua reação "só" colheu vinte pontos na cabeça.
    Beijuuss n.a.

    ResponderExcluir
  7. Boa noite meu querido amigo!
    Estava com saudades sim...sinto falta dos amigos queridos,e vc é um deles,kkkkkkkkkkk,não rir por favor,kkkkkkkkkkkk
    Ah! Meu querido,prá quem prega o amor não gosta nada desse tipo de filme...
    Bjs para aquecer tua noite!

    ResponderExcluir
  8. Oi Leonel boa tarde!
    Ja gostei muito desse filmes, hoje não vejo nada mais. A violência parece sair dos filmes pra vida real. Gosto muito de ver documentários ou sobre animais, países, vegetações. Nem novela eu curto, acho muita apelação. Beijos e ótima semana.

    ResponderExcluir
  9. Amanheci o dia com saudade do meu amigo querido.
    Por isso que vim te dar um beijo...
    Breve mostrarei prá vc meu cajueiro...tbm tenho uma história linda,parecida com a sua...
    bjs meu amigo para aquecer teu dia!

    ResponderExcluir
  10. Eu não assisti e agora lendo a sua explicação e recomendação eu estou preferindo nem ver. Não gosto de cenas assim como você descreveu, de mutilação visível de corpos, sem necessidade de mostrar, afinal nem todos gostariam de um dia ser medico kkkk

    Em dizer que é Junior(Jude Law) que está ali no filme, ainda bem que a Olivia o abandonou, rsrs foi para a Europa para matar gente,hehehe

    Nestes dias, estando em casa, descobri um filme brasileiro que adorei e vim a saber que existiu ou existe a série - Os Normais, e confesso que estou me divertindo demais, assistindo tudo através do You tube.

    Beijos

    ResponderExcluir