FRASE:

FRASE:

"Se deres um peixe a um homem, vais alimenta-lo por um dia; se o ensinares a pescar, vais alimenta-lo a vida toda."

(Lao-Tsé, filósofo chinês do séc. IV a.c.)

quarta-feira, 16 de maio de 2012

DIVAGAÇÕES SOBRE O TEMPO



Estive pensando sobre o tempo...
Mas como se pode pensar numa coisa que não se vê, não se ouve, nem se pode tocar ou sentir?
O tempo não se percebe, ele só passa...
Mas, ele passa mesmo, ou somos nós que passamos por ele?
Afinal o que é o tempo?
Serão os intervalos entre os marcos que deixamos pelo caminho?
Ou será o tempo um enorme e infinito caminho que percorremos geração após geração...
Um caminho que já estava aí antes da primeira geração e que vai permanecer aqui depois da última?
Os seres humanos, tentando aprisionar ou rastrear o tempo, criaram os relógios...
E acabaram prisioneiros e reféns dos relógios, meros marcadores de intervalos...
O passar do tempo é relativo, um mesmo período medido por um relógio pode nos parecer muito longo ou muito curto, dependendo da nossa situação...
Para quem está numa fila de transplante de órgãos, cada dia pode parecer uma eternidade...
Para quem tem muitas coisas para fazer, as horas parecem passar com velocidade alucinante!
Nunca ouvi a narrativa de um condenado à morte sobre como foi seu último dia neste mundo.
Será que o dia passou como num instante?
Ou levou uma eternidade até a hora de receber a agulhada fatal, ou sentir o chão fugir sob seus pés, num cadafalso?
E, para um militar que foi fuzilado, quanto tempo se passou entre ouvir a ordem de “fogo!” e receber a mortal descarga de chumbo no peito?
Quem sabe a resposta não está mais nesta dimensão...
Não importa o que esteja acontecendo, cada evento ocupa seu quadro sequencial na linha do tempo...
Uma infinidade de eventos ocorrem simultaneamente, embora separados por outra dimensão, a do espaço...
Consta que quem está numa determinada dimensão pode ver inteiramente as dimensões inferiores...
Nós vivemos num universo de quatro dimensões: o espaço tridimensional, mais a quarta dimensão que é o tempo...
Podemos ver o universo unidimensional e simplificado de uma linha...
E descortinar o que é projetado nas duas dimensões que determinam um plano...
Sem dificuldade podemos projetar as formas de um objeto no espaço tridimensional...
Podemos até mesmo situar onde estará a cada variação de unidade arbitrária de tempo...
E isto me leva a pensar: já ouvi especulações científicas sérias sobre o número de dimensões que existem além da quarta...
Não posso imaginar como, alguém construiu fórmulas matemáticas que o levaram a concluir que haveriam onze dimensões, no total...
Outros já projetaram este número ao infinito...
Mas, como vale especular qualquer coisa, gosto de pensar que, se eu estivesse numa quinta dimensão, poderia ver toda a linha do tempo, estendida quadro a quadro como, como uma tirinha de histórias num jornal de domingo...
Ali estariam congelados na continuidade espaço-tempo, todos os eventos já ocorridos no universo, e também os que, em relação ao nosso “hoje” estão ainda por ocorrer...
E eu, magicamente, poderia inserir-me como espectador em cada hora e lugar escolhido, apertar a tecla “play”, e ver as coisas rodarem a partir dali...
Voar sobre o supercontinente Pangéia, antes da grande separação continental...
Ver uma terra diferente, com animais extintos perambulando por um mundo onde os humanos ainda nem sonhavam existir!
Poder ouvir o sermão da montanha, embora sem entender aramaico...
Presenciar a emoção de Magalhães, ao avistar o Oceano Pacífico do outro lado daquele tortuoso estreito no extremo das Américas...
Ver a frustração de Scott, ao encontrar a bandeira fincada por Amundsen no Polo Sul.
Assistir à reação de meus pais, ao saberem de minha iminente chegada...
Mas, perceberam a cilada?
Não estou falando sobre o tempo, mas sobre eventos!
Afinal, como falar sobre algo que não se pode ver, ouvir, sentir nem perceber?

Time goes by...

32 comentários:

  1. Divagações sensacionais, muito bem fundadas com hipóteses que guardam verdades que o homem ainda, na sua ignorância cartesiana, ainda não aprendeu, nem de longe, entender.... muita ilusão nesse mundo e pensamentos pequenos, sentimentos menores ainda, ofuscam verdades imprescindíveis para a evolução humana... mas quem muito procura, você sabe....
    Adorei a sua viagem no tempo Leonel!
    Parabéns e pé na estrada!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo incentivo, Carla.
      Como diz aquele repórter: vem comigo!
      Abraços!

      Excluir
  2. O homem sabe muito pouco sobre a dimensão tempo....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para não dizer que não sabe nada...
      Tem muita coisa além do alcance da ciência humana...
      Abraços!

      Excluir
  3. Leonel,
    Vejo que você "pegou o jeito", deu um passeio filosófico pela única e inquestionável “entidade”, ao qual não se pode atribuir adjetivos e é inconjugável; sua existência independe de nós, de nossa mente, de nossa fé e até do universo; o tempo é a alma imortal de todas as coisas; o tempo é o fio condutor universal que mantém a coesão do átomo até o aglomerado galáctico. Abraços e parabéns, JAIR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vindo de alguém que já publicou diversos ensaios sobre os enigmas do TEMPO, este comentário me massageia o ego...
      Sobre este tema, só podemos mesmo falar hipóteses ou fantasias como as minhas...
      Abraços, Jair!

      Excluir
  4. Bom dia amigo virtual Leonel,
    pertinentes considerações, num texto leve e cativante.

    Abraços, saúde, boas horas e muita paz interior

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, mestre das formas arquitetônicas!
      Muita paz!

      Excluir
  5. Leonel! Fiquei um bom "tempo" divagando sobre o "evento" do seu belo texto filosófico! Elucidativo e incentivador! Valeu mesmo!
    Abraço da Célia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pela força, Célia!
      Abraços!

      Excluir
  6. Ah que gostei dessas considerações filosóficas sobre o tempo. A passagem do tempo é um assunto meio deprimente, mas também fascinante. Perante o tempo, somos todos impotentes, né mesmo? Sua passagem é democrática e, ironicamente, rígida e inflexível. Todos sabemos que o tempo anda sempre avante...indiferente aos questionamentos humanos, mas insistimos na compreensão e se possível apreensão desse todo poderoso! A irreversibilidade do tempo está relacionada à complexidade do mundo... Como é difícil apalpar aquilo que não se toca, que não se segura!!!
    Beijuuss, amado, n.a.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O fascínio exercido pelo tema TEMPO vem justamente da dificuldade que temos para lidar com a sua imponderabilidade...
      Como você disse, "Como é difícil apalpar aquilo que não se toca, que não se segura!!!"
      Bjs, Rê, prazer em te ver!

      Excluir
  7. Amigo LeÔnidas.....

    Por estas e outras que sempre dito este versêto... rss
    "O tempo perguntou ao tempo, quanto tempo o tempo tinha... O tempo não teve tempo de responder ao tempo, quanto tempo o tempo tem."

    Viajei no tempo meu bródis... rss
    Abraço
    Tatto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até para estes jogos de palavras o tempo se presta...
      Melhor viajar no tempo do que na maionese!
      Abração, bródi!

      Excluir
  8. OI LEONEL!
    POR TUAS DIVAGAÇÕES NOS MOSTRAS SER UMA PESSOA COM BASTANTE CONHECIMENTOS.
    SÓ POSSO ARGUMENTAR, DIZENDO QUE SOMOS INOCENTES ESPECTADORES DESTE TEMPO. ELE É NOSSO SENHOR E DO QUAL NÃO TEMOS MUITAS EXPLICAÇÕES, ELE PASSA E PRONTO, SÓ PODEMOS CORRER PARA NÃO FICARMOS PARA TRÁS.
    ABRÇS

    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De uma certa forma, somos espectadores, ou figurantes em meio a este fluir infinito de eventos ao longo da linha do tempo.
      Abraços, Zilani!

      Excluir
  9. Ola meu querido Leonel,passando sem tempo,apenas para matar as saudades e conferir rapidamente o que tens feito poe estes dias.Amanhã voltarei com muito mais tempo para conversar.Meu grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prazer te rever, Suze!
      Vê se arranja um TEMPO para a gente conversar!
      Abraços!

      Excluir
  10. Em primeiro lugar, obrigado por comentar lá no Espelhando e Espalhando Amigos na minha publicação desta semana.
    Realmente suas devagações é para uma profundo reflexão sobre o que propôs, o tempo, isso demonstra conhecimento de causa.
    Deixarei um pensamente sobre o tempo:
    "O tempo não dá tempo de ver o tempo fluir, e com essa falta de tempo não vejo o tempo sumir".
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o tempo servindo de inspiração também para os poetas!
      Abraços, Lucidreira!
      Volte sempre!

      Excluir
  11. Olá Leonel,

    Gostei dessas exposições que filosofou do tempo.
    Tem um pensar que diz que uma das grandes desvantagens de termos pressa, é o tempo que nos faz perder.
    Que bom seria se pudessemos tatear o tempo., mas isso é impossível, então só mesmo resta imaginar.
    Adorei essa viagem!
    Desejo um ótimo fim de semana cheia de coisas especiais.
    Grande abraço!
    Beijos!

    P.S:Tem postagem novas no meu blog, bora la conferir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alô, Smareis!
      Só agora achei TEMPO para responder aos comentários dos meus amigos!
      Este tema fica no ar, sem nenhuma conclusão definitiva, pois conclusões ficam fora do nosso alcance.
      Restam as especulações, que são muitas!
      Bjs!
      Depois, vou passar lá!

      Excluir
  12. Andei falando com os meus botões sobre o tempo esses dias e atentei para a óbvia conclusão de que ele é um trem em constante movimento e eu que trate de não perder o fôlego e o acompanhe. Parar é vacilo. Estacionar é deixar-se ir sem o tempo, sem o nada.

    E nessas suas imersões nos eventos idos e futuros, eu também quero ir.

    Lindo texto, Leonel!
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vem comigo, querida!
      Seja minha companheira de viagem, e tudo fica mais interessante!
      Não podemos parar nunca, a não ser quando acaba o nosso tempo!
      Bjs, Milene!

      Excluir
  13. Não é curioso que de tempos em tempos todos nós arranjamos um tempo pra falar sobre o tempo?
    Em tempo: bem-vindo ao clube.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais cedo ou mais tarde, eu acabaria entrando no clube dos que se maravilham com a enigmática natureza desta entidade inapalpável chamada TEMPO!
      Seguindo as pegadas dos mestres...
      Abraços, Barcellos!

      Excluir
  14. Que ótimo texto. Somos reféns do tempo; uma coisa que não se vê, nem se toca e nem se sabe o que é. Só o que sabemos é que fazemos sempre tudo com pressa por causa desse maldito tempo! rs Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem vindo, Sérgio!
      Como eu falei, o homem inventou o relógio e acabou refém desta máquina, que passou a ser a representação física do tempo.
      Abraços!

      Excluir
  15. Obrigada pelo carinho Leonel e pela luz!
    A comunhão de idéias é a aliança mais forte que existe e nos acompanha além da morte!
    Vaomos indo!

    Beijos e boa semana!!

    ResponderExcluir
  16. A luz é um dom que você tem!
    Boa semana, Carla!

    ResponderExcluir
  17. Amigo que beleza de texto sobre um tema que curto muito parabens sempre!

    ResponderExcluir
  18. Obrigado, Veloso!
    Nos arquivos há mais "divagações"...
    Abraços!

    ResponderExcluir