FRASE:

FRASE:

"Se deres um peixe a um homem, vais alimenta-lo por um dia; se o ensinares a pescar, vais alimenta-lo a vida toda."

(Lao-Tsé, filósofo chinês do séc. IV a.c.)

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

HISTÓRIA: AS VÍTIMAS BRASILEIRAS DOS SUBMARINOS

Na minha postagem HISTÓRIA: SUBMARINOS ALEMÃES ATACAM!, eu mencionei que finalmente sabia quem tinham sido os atacantes de todos os navios brasileiros afundados na II Guerra Mundial.
Aqui, está, conforme prometi a mim mesmo, o resultado de muitas consultas e de cruzamentos de informações, sobre o tema navios brasileiros atacados por submarinos do eixo Itália-Alemanha durante a II Guerra. Esta é a lista dos navios afundados, com data, hora e local (quando disponíveis), a identificação do submarino atacante e o nome do seu capitão na ocasião do ataque.


Navios Brasileiros Torpedeados na II Guerra Mundial

1942
N.
Navio
(Mortos)
Data
Hora
(1)
Local
(Posição)
Submarino
Tipo(2)
Comandante
do submarino
01
Buarque
(1)
15/02
04:43
Costa leste dos EUA
36°35'N, 75°20'W
U-432
VIIC
Cp T Heinz-Otto Schultze
02
Olinda
(0)
18/02
18:07
Costa leste dos EUA
37°30'N, 75°00'W
U-432
VIIC
Cp T Heinz-Otto Schultze
03
Cabedelo
(54)
25/02
-
Antilhas?
Da Vinci
Cp Cv Longanesi-Catani
04
Arabutã
(1)
07/03
21:10
Costa leste dos EUA
35°15'N, 73°55'W
U-155
IXC
Cp Cv Adolf C. Piening
05
Cairu
(1)
09/03
02:25
Costa leste dos EUA
39°10'N, 72°02'W
U-94
VIIC
1T Otto Ites
06
Parnaíba
(7)
01/05
20:46
Leste de Trinidad-Tobago
10°12'N, 57°16'W
U-162
IXC
Cp T Jürgen Wattenberg
07
Comte. Lira
(2)
18/05
22:30
200 nm da costa do RN
Barbarigo
Cp T Enzo
Grossi
08
Gonçalves Dias
(6)
24/05
13:15
Mar do Caribe
16°09'N, 70°00'W
U-502
IXC
Cp T J. Von Rosenstiel
09
Alegrete
(0)
01/06
23:51
Mar do Caribe
13°40'N, 61°30'W
U-156
IXC
Cp Cv Werner Hartenstein
10
Pedrinhas
(0)
26/06
23:17
300 nm a NE de Porto Rico
23°07'N, 62°06'W
U-203
VIIC
Cp T Rolf 
Mützelberg
11
Tamandaré
(4)
26/07
08:15
Ao largo de Trinidad-Tobago
11°34'N, 60°30'W
U-66
IXC
Cp T Friedrich Markworth
12
Piave
(1)
28/07
20:30
100 nm leste de Barbados
12°30'N, 55°49'W
U-155
IXC
Cp Cv Adolf C. Piening
13
Barbacena
(6)
28/07
00:40
100 nm leste de Barbados
13°10'N, 56°00'W
U-155
IXC
Cp Cv Adolf C. Piening
14
Baependi
(270)
16/08
00:12
Costa de Sergipe
11°50' S, 37°00'W
U-507
IXC
Cp Cv Harro 
Schacht
15
Araraquara
(131)
16/08
02:02
Costa de Sergipe
12°00'S, 37°19'W
U-507
IXC
Cp Cv Harro 
Schacht
16
Anibal Benevolo
(150)
16/08
09:13
11 nm da Barra de SE
11º42' S/37º23' W
U-507
IXC
Cp Cv Harro 
Schacht
17
Itagiba
(36)
17/08
18:03
Costa da Bahia
norte da Ilha de Tinharé
13°20'S, 38°40'W
U-507
IXC
Cp Cv Harro 
Schacht
18
Arará
(20)
17/08
18:03
Costa da Bahia
norte da Ilha de Tinharé
13°20'S, 38°49'W
U-507
IXC
Cp Cv Harro 
Schacht
19
Jacira
(0)
19/08
00:00
Costa da Bahia
Entre Ilhéus e Itacaré
14°30'S, 38°40'W
U-507
IXC
Cp Cv Harro 
Schacht
20
Osório
(5)
28/09
01:10
Foz do Amazonas
norte de Salinas-PA
00°03'N, 47°45'W
U-514
IXC
Cp T Hans J. Auffermann
21
Lajes
(30
28/09
02:15
Foz do Amazonas-PA
00°13'N, 47°47'W
U-514
IXC
Cp T Hans J. Auffermann
22
Antonico
(16)
28/09
00:00
Costa da Guiana Francesa
05°30'N, 53°30'W
U-516
IXC
Cp Cv Gerhard Wiebe
23
Porto Alegre
(1)
03/11
16:42
Largo de Port Elizabeth -África do Sul
35°27'S, 28°02'E
U-504
IXC
Cp Cv Hans Poske
24
Apalóide
(5)
22/11
22:17
Leste das Pequenas Antilhas
13°28'N, 54°42'W
U-163
IXC
Cp Cv Kurt Engelmann
1943
N.
Navio
(Mortos)
Data
Hora
(1)
Local
(Posição)
Submarino
Tipo(2)
Comandante
do submarino
25
Brasilóide
(0)
18/02
03:15
Costa da Bahia
12°38' S, 37°57' W
U-518
IXC
Cp T Friedrich Wissmann
26
Afonso Pena (125)
02/03
23:01
Ao largo da Bahia
Barbarigo
Cp T Roberto
Rigoli
27
Tutoia
(7)
01/07
00:15
Largo de Iguapé-SP
24º43' S, 47º19' W
U-513
IXC
Cp Cv Rolf Guggenberger
28
Pelotaslóide
(5)
04/07
17:45
5 nm norte de Salinas -PA
00°24'S, 47°36'W
U-590
VIIC
1T Werner Krüer
29
Bagé
(28)
01/08
02:36
30 nm sul de Aracaju-SE
11°29'S, 36°58'W
U-185
IXC/40
Cp T Augustus
Maus
30
Itapagé
(22)
26/09
18:50
10 nm de Lagoa Azeda-AL
10º05'S, 35º54'W
U-161
IXC
Cp T Albrecht Achilles
31
Campos
(12)
23/10
12:33
15 nm de Alcatrazes-SP
24°42'S, 45°45'W
U-170
IXC/40
Cp T Günther
Pfeffer
1944
N.
Navio
(Mortos)
Data
Hora
(1)
Local
(Posição)
Submarino
Tipo(2)
Comandante
do submarino
32
Vital de Oliveira
(99)
20/07
04:54
25 nm sul do farol S. Tomé– RJ
22°29'S, 41°09'W
U-861
IXD2
Cp Cv Jürgen Oesten

(1) A hora, no caso dos submarinos alemães, se refere à hora de Berlim em que foi comunicado o afundamento. Esta coluna não serviu como ordenação, portanto podem haver horários fora de ordem, para um mesmo dia
(2) Os submarinos alemães tipo VIIC eram menores e tinham menor raio de ação que as diversas variantes do tipo IX, maiores e com maior autonomia.

Abreviaturas usadas no quadro:
nm= milha náutica (1.853 m)
N,S,E,W, NE = Norte, Sul, Leste, Oeste, Nordeste
1T = Primeiro-tenente
Cp T = Capitão-tenente
Cp Cv = Capitão-de-corveta

Como se pode ver, pouco mais da metade (17) dos navios brasileiros afundados durante a II Guerra foram atacados em águas nacionais. Os outros foram afundados em diversas partes do Atlântico, como na costa dos EUA e no Caribe. Até no Oceano Índico houve um ataque, no caso do Porto Alegre.

O Arará: um dos seis navios brasileiros torpedeados pelo U-507 entre os dias 16 e 19 de agosto de 1942. De seus 35 ocupantes, 20 foram mortos no ataque.

Originalmente, constavam 34 navios, mas excluímos desta lista o navio Cisne Branco, uma vez que não há nenhuma referência ao seu afundamento nos arquivos dos submarinos alemães, sendo que o submarino que alegadamente o teria torpedeado (U-161) foi afundado no mesmo dia, a uma distância longe demais do local do naufrágio. Muitas contradições envolvem a misteriosa explosão que causou o naufrágio do Cisne Branco. Na realidade, há mais dúvidas do que certezas em relação a este navio e pode ter acontecido algum acidente, já que ele levava carga militar considerada secreta (talvez explosiva), embora declaradamente transportasse apenas sal.
Também foi excluído o veleiro Paracuri, que consta nos arquivos alemães como apenas danificado por tiros de canhão pelo submarino U-159 no Caribe, em 05 de junho de 1942, não havendo registro de vítimas.
Quanto ao Cabedelo, faltam alguns dados, já que este navio saiu em 14-fev-1942 do porto de Filadélfia, nos EUA, com destino ao Rio de Janeiro, e desapareceu sem deixar destroços, sobreviventes ou corpos. Dois pesquisadores europeus, um alemão e o outro italiano, chegaram a mesma conclusão de que ele foi torpedeado pelo submarino italiano Da Vinci, em 25-fev-1942. Porém, não temos informações sobre o local exato. 

 O Cabedelo, que se acredita ter sido afundado próximo às Antilhas pelo submarino italiano Da Vinci, em 25 -fev-1942: 54 mortos.

Também não consta da lista, por não ser um navio, o pequeno pesqueiro de 20 t CHANGRILÁ (Shangri-Lá), afundado ao largo de Cabo Frio (RJ) a tiros de canhão pelo submarino U-199, em 22-jul-1943. O destino deste barco, dado como desaparecido, só foi conhecido no início deste século, quando foi liberado o teor do interrogatório dos tripulantes sobreviventes do U-199, capturados e levados para os EUA, após o afundamento do submarino, em 31-jul-1943. Os 10 tripulantes, do CHANGRILÁ, todos pescadores de Arraial do Cabo, foram metralhados para que não revelassem a presença do submarino naquela posição. Seus corpos nunca chegaram à costa nem foram encontrados.
Este não foi o único caso de desrespeito à tratados internacionais no tratamento de sobreviventes de naufrágios. Após um incidente com o navio Laconia, esses caso se tornaram frequentes.
Em 12-set-1942, no Atlântico Sul, ao largo da costa africana, o submarino U-156, comandado pelo capitão-de-corveta Werner Hartenstein, torpedeou o navio inglês Laconia. O barco transportava 136 tripulantes, 80 civis, 268 soldados ingleses e cerca de 1.800 prisioneiros de guerra italianos, vigiados por 160 soldados poloneses. Percebendo que havia aliados italianos entre os náufragos, o comandante iniciou uma operação de salvamento, convocando mais dois submarinos, um alemão e outro italiano para cooperar no resgate. Rebocando botes e com os conveses cheios de soldados, os três submarinos rumaram para a costa africana quando foram avistados por um avião-patrulha americano. Apesar de ostentarem bandeiras brancas e cruzes vermelhas, foram atacados e forçados a submergir, causando a perda de vidas. Mais tarde, os aproximadamente 1.500 sobreviventes foram resgatados por navios franceses, a essa altura aliados dos alemães.
Em decorrência disso, o almirante Karl Doenitz, comandante da frota submarina alemã, expediu uma ordem para que seus barcos não mais se envolvessem em resgates de passageiros de navios torpedeados. Entretanto, essa ordem não explica o metralhamento sistemático de sobreviventes.
Essa determinação foi um dos motivos que levaram o Almirante Doenitz a ser indiciado pelo Tribunal de Nuremberg, instaurado pelos aliados após o conflito, para julgar os crimes de guerra cometidos pelos alemães. Sua defesa alegou que o mesmo procedimento fora adotado pelos aliados em situações semelhantes, citando ações da marinha dos EUA no Pacífico. Essa estratégia parece ter funcionado, pois ele pegou apenas dez anos de prisão. Doenitz faleceu em 1980, aos 89 anos.
Anos após o Julgamento de Nuremberg, o governo brasileiro, a pedido da Marinha, solicitou a extradição, para julgamento no Brasil, do ex-capitão-de-corveta Gerhardt Wiebe e outros oficiais, que serviam no submarino U-516 por ocasião do torpedeamento do navio brasileiro Antonico, em 28-set-1942, ao largo da Guiana Francesa. Após abandonarem o navio em baleeiras, os quarenta sobreviventes ainda foram metralhados pelos tripulantes alemães, sendo 16 mortos, inclusive o comandante Américo Neves, e diversos feridos. Mas houve sobreviventes que relataram o fato. A extradição foi negada e o Brasil desistiu da solicitação.
As perdas humanas brasileiras nestes afundamentos atingiram a soma total de 1.080 mortos.
Curiosamente, o primeiro navio brasileiro a ser atacado na II Guerra não foi alvo de nenhum submarino, mas de um avião!
Em 22 de março de 1941, o Taubaté, que viajava no Mediterrâneo, do Chipre para Alexandria, no Egito, foi atacado próximo ao seu destino por um avião da Luftwaffe, que após lançar bombas sem acertar, metralhou o navio, mesmo após o içamento de uma bandeira branca, matando um tripulante e ferindo outros 13. A diplomacia brasileira protestou, mas consta que a embaixada alemã não se pronunciou a respeito. Na época, o governo de Getúlio Vargas via com certa simpatia o regime nazista e a política externa brasileira buscava a neutralidade em relação à guerra.
Durante a II Guerra, os submarinos alemães afundaram mais de 3.000 navios aliados.



A lista dos navios brasileiros torpedeados foi elaborada com dados das seguintes fontes:

Apontamentos do Gen. da reserva Darcy Lázaro, veterano da FEB (Assoc. Dos Ex-Combatentes – Seção Paraná), conforme citado pelo pesquisador Diniz Esteves.

Informações constantes no livro do falecido Brig. Ivo Gastaldoni MEMÓRIAS DE UM PILOTO DE PATRULHA.

Em uma série de artigos do mesmo autor, publicados na REVISTA DA AERONÁUTICA, editada pelo Clube de Aeronáutica.

No excelente livro O BRASIL NA MIRA DE HITLER, de Roberto Sander (Ed. Objetiva, 2007), que conta diversos detalhes sobre o afundamento dos navios brasileiros, sobre a atividade de espionagem alemã no Brasil e da política brasileira da época.

No site www.uboat.net, onde constam informações detalhadas sobre as operações de mais de 1000 submarinos alemães durante a II Guerra Mundial.

28 comentários:

  1. Que belo trabalho de pesquisa amigo!
    Fiquei impressionada com o grande número de Brasileiros que morreram e de como cada embarcação teve seu fim.
    Desconhecia muito do que aqui tu escreveu.

    Abraços,

    ResponderExcluir
  2. Nossa não imaginava que fossem tantos navios, ótimo post Leonel abração :-)

    ResponderExcluir
  3. Ola Leo,
    Execelente matéria e muito interessante a ideia central; fiquei impressionada!


    Se quiser conhecer minha pequena biblioteca, encontra-se neste endereço http://www.bookess.com/profile/adrianasph/books/
    Todos sem frete, adquirindo um, escolha outro como brinde e mimo meu para você, basta me enviar um email
    Adriana!

    ResponderExcluir
  4. Leonel,
    Como sempre, teu texto está informativo e bem elaborado. Baseado em fontes fidedignas tu consegues "fechar" de maneira brilhante um tema que dos mais intrincados, para não dizer polêmicos também. Parabéns por essa joia de "reportagem", nós leitores só temos a agradecer, JAIR.

    ResponderExcluir
  5. Leonel, meu grande e saudoso amigo!
    Mais um lindo escrito teu que me enche de conhecimento! Obrigado por nos oferecer esta forma de nos informado de coisas tão importantes!

    Desculpa este afastamento, mas estamos no verão, principalmente no mês de Agosto, onde eu estou cheio de trabalho na produção e organização de festas populares. No inicio de Setembro tudo voltará ao normal.

    Um beijo bem grande em tua alma.

    ResponderExcluir
  6. Um texto e tanto Leonel!
    Cheio de informações interessantes que vc descreve com maestria.
    Beijos e boa tarde!
    Carla

    ResponderExcluir
  7. Essas informações são de grande valias.Quantos navios? e muitos brasileiros perderam sua vidas.Um abraço amigo!Ainda não vi tua carinha nos meus membros.

    Smareis!

    ResponderExcluir
  8. Leonel... Meu véio!!

    "Tô ligado que nas guerras a vida é insignificante e a morte é a glória!!
    Sempre me entristeço com esses assuntamentos... Gosto Não!

    Deusssssssssskiajude
    Abraços meu amigão
    Tatto

    ResponderExcluir
  9. Boa noite meu professor!
    Que aula hém!
    Aprendemos muito quando passamos por aqui...
    Sua alma quando pousa lá no meu cantinho,fico tão feliz,com desejos de te ver todos os dias por lá...ainda digo para as pessoas que não sou pretenciosa,kkkkkkkkkkkkkkkkk imagine se fosse!
    Deixe eu resumir essa história;sua visita me deixa feliz!
    Bjsssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  10. Um dia vou visitar um sbmarino, embora já viva em um....kkkk
    Porque sizem que sacamento é igual a um né?? kk
    Pode até boiar, mas foi feito mesmo para afundar...kkkk
    Será?
    Brincando viu amigo!
    P descontrair!!
    Beijos e boa tarde,
    Carla

    ResponderExcluir
  11. Ola Leonel,
    Eu li o seu comentário la no meu blog e vim aqui ler este seu novo post... Hoje estava respondendo aos amigos e visitando alguns blogs e já estava para vir aqui quando li sua mensagem.
    O que posso dizer é que toda esta confusão que o Google esta fazendo para que meu blog apareça ou desapareça, rsrs deve ser porque estão pensando que eu deva estar pra la de Bagdá... Talvez mais distante que no Japão, em alguma ilha do Pacifico rsrs ou talvez estejam pensando que estou postando na lua ou em algum lugar situado em uma outra galaxia, kkkk ou quem sabe estão pensando que estou em algum submarino e esta sendo incapaz de ser avistado e pronto para atacar, kkkkkkkk Porque vou te dizer uma coisa: Che Caquio! rsrs Que erro! Desse jeito eu vou pro brejo!

    Eu li tudo, e achei curioso uma coisa nisto tudo... Sera que eu entendi? kkkk
    Este Changrila que você fala não fazia parte da guerra e mesmo assim eles afundaram tudo? Porque ao ler o que você dizia parece que eram apenas pescadores, aqui nas nossas águas.Opss nas águas de vocês, porque eu estou nas proximidades do Mediterrâneo, rsrs
    Estou de ferias e ontem eu passei o dia em um Lago. Lago de Lecco e achei lindo. Tantas lanchas circulando e um belo Sol. Foi um belo passeio... Sera que em um lago poderia esconder um submarino? Fiquei curiosa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Leonel,

    eu gosto muitíssimo desses assuntos de guerra!
    É sempre bom conhecer um pouco mais daquilo que pouco ou nada sabemos, meu querido!
    Já afirmei aqui que você é excelente nas suas explanações...e o Jair definiu muito bem: informação com dose equilibrada, adequada, de elaboração!
    Mas, falando do texto...ainda um pouquinho 'zonza', consegui ler tudo, e você me conduziu a um mundo nostálgico (dramático, claro) da segunda guerra! Penso sempre como teria sido se tivesse vivido naquele tempo, que não vai tão longe assim!
    E mais saudade deu, do Cisne Branco...qual noite de lua...
    Viu como consigo florear e amenizar um assunto tão importante e sério como esse?
    Talvez para não escutar os gritos surdos dos que sofreram e morreram nos submarinos!
    Talvez por saber que, nesse grande número de naufrágios, nossos irmãos perderam a vida, combatendo... mas guerra é sempre guerra, e não deixa de ser triste.
    Eu me lembro da sua promessa de nos mostrar essa estatística, naquela postagem. Parabéns por cumprir, com honra!
    Um grande abraço,
    e venha ver a ortografia divertida...rs

    ResponderExcluir
  13. Não tinha a menor ideia! Aliás, já disse e repito todas as vezes que leio suas postagens: aprendo, aprendo e aprendo com você!!!
    Beijuuss, amado, n.a.

    ResponderExcluir
  14. Amigo boa sexta feira!!
    Boa noite!
    Carla

    ResponderExcluir
  15. Assuntamentos de guerra, feito disse o Tatto, me entristece, eu nunca vou compreender a guerra, seja lá a desculpa que se arrume.

    Meu querido, mais uma vez um show de pesquisa e informação. Melhor pra nós que saímos daqui sabidinhos da silva.

    A propósito, sua frase lá em cima, aliás, a frase anônima, perfeita! Ai de nós!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  16. Leonel vc traz muitas cores para meus dias amigo.
    Obrigada!!!
    Bom sábado!
    Carla

    ResponderExcluir
  17. Nossa, sou blog vai ser ótimo pra eu estudar alguns assuntos da aula de geografia hahah.
    Muito bom seu trabalho, consegui entender algumas coisa que eu ainda nao tinha bem claro sobre questoes políticas e etc. Parabéns
    AH, e muito obrigada pela sua visita no meu blog, eu vou dar uma olhada nas hipóteses que voce me mandou.
    beijos, e volte sempre

    ResponderExcluir
  18. Leonel que maravilha encontra alguém que valoriza nossa história. eu não sabia de tudo que você colocou. fico grata.

    um abraço.

    beth

    ResponderExcluir
  19. Olá, Leonel, eu vi você em outro blog, e resolvi te visitar, esse post eu não entendi bem, tem que ler com atenção...,
    O post anterior, eu adorei, estou te seguindo e espero uma visita tua no meu cantinho. Beijos da Mery do Rio de Janeiro, se for lá, não se assuste com o meu post, quero muito um comentário de um carioca, pois nós sabemos da nossa realidade.

    ResponderExcluir
  20. Olá amadoooo, desculpa a distância de tmpo em responder, é que estou amarrotada de coisas a fazer, mas com muita vontade de estar perto de vocês que me fazem tato bem...
    Lembrando que temos uma enquete maluca la no blog, uma espécie de ginacana, e nós autores, apostamos um prêmio entre nós para quem ganhasse, e eu, rsss, convido a você para votar em meu humilde livro e amado o voo da estirpe, tá? Dia 10 tem sorteio!

    ResponderExcluir
  21. Amigo passand entre janelas, atravessando mares para te desejar um feliz domingo!!
    :D
    Aqui em Aracaju agora também faz frio. O clima anda mudado.
    Carla

    ResponderExcluir
  22. Oi Leonel, é sempre bom ter conhecimento assim sobre navios brasileiros.Parabéns por essa bela postagem.Adorei ver sua carinha lá nos membros. Desejo um ótimo começo de semana cheio de coisas especiais. Um Beijo meu amigo!

    Smareis

    ResponderExcluir
  23. Havia um navio chamado Taubaté? Hoje quem esta afundando Taubaté a cidade que eu quase moro é um prefeito corrupto! A cidade vive um dos seus piores momentos é triste... Um abraço e deixa eu caminhar mais por aqui!

    ResponderExcluir
  24. Olá amigo, encontrei por acaso seu blog e gostei muito, principalmente por tratar do assunto Segunda Guerra. Meu pai guardava a sete chaves uma revista chamada Agressão, sobre os bombardeamentos, ela foi roubada em uma exposição sobre a segunda guerra. Anos depois consegui uma num sebo e pra ficar pra eternidade resolvi escanear e distribuir o máximo. Caso você e seus leitores tenham interesse segue o link para baixar: http://www.4shared.com/office/cmidCNrX/Agresso.html

    ResponderExcluir
  25. Parabéns pelo trabalho de pesquisa. Falta, porém, um navio: o pesqueiro Shangri-lá, afundado pelo submarino nazi U-199 em 22 de julho de 1943, em Cabo Frio, com a morte de todos seus dez tripulantes.

    http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u23152.shtml

    982 brasileiros foram assassinados pelas ratazanas nazi-fascistas nos navios mercantes brasileiros. E hoje ainda existem brasileiros traidores que sob nomes como White Power cultuam o neonazismo, o racismo, o separatismo e outras ideias imundas. Cadeia já nesses canalhas, em respeito à memória de nossos 982 irmãos assassinados pela escória da cruz gamada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo, leia de novo, e desta vez leia todo o texto, e veja porque eu não inclui o Shangri-lá na relação...
      Acho que alguns destes imbecis semianalfabetos que se dizem neonazistas nem sequer sabem quem são seus pais...
      Obrigado pela visita e pelo comentário.
      Leia os outros dois posts sobre o mesmo assunto:

      http://asteroide-leonel.blogspot.com.br/2011/07/historia-submarinos-alemaes-atacam.html

      e

      http://asteroide-leonel.blogspot.com.br/2011/09/historia-submarinos-do-eixo-afundados.html

      Abraços!

      Excluir